Buscar
  • Pati Rodrigues

PatiPapo#1: FOguete não dá ré

é verdade! Mas pode explodir.



"Durante os 30 anos de programa dos ônibus espaciais, a NASA lançou mais de 100 veículos tripulados, sendo que dois deles resultaram em fatalidades. O programa Soyuz, da Rússia, tem uma taxa de falhas semelhante, que aponta para dois acidentes fatais em pouco mais de 100 missões tripuladas. "Temos que continuar admitindo que é perigoso, e precisamos tratar assim", já afirmou em entrevista Bryan O'Connor, que atuou na direção do escritório de segurança e garantia de missões na NASA. "Vale a pena fazer, se tivermos uma boa missão, mas não podemos subestimar os riscos", explicou. (fonte: CanalTech)


Essa última frase podia ser sobre empreendedorismo. Mas é parte de uma matéria sobre as 10 maiores tragédias espaciais de todos os tempos.


Quantas vezes você já ouvir a expressão 'foguete não dá ré!!!!!!' ( leia com a ênfase de um ritual motivacional quase urrando, obrigada)?


Ela parece cumprir uma função clara: despertar ânimo exacerbado para propósitos empreendedores, como se nada e nem ninguém pudesse impedir você de alcançar o sucesso!


(agora mentalize o Buzz Lightyear com seu 'ao infinito e além')


Bom, quer a verdade?


Foguete não tem ré.

Mas teve foguete que explodiu.

Teve tripulação que morreu no espaço.

Teve falta de segurança nos testes, curto-circuito, negligência, falta de cuidado no cumprimento de prazos no preparo.

Explosões e mortes.


Já que é pra fazer analogia com negócios, projetos e empreendedorismo, que tal uma boa dose de honestidade?


Planejamento, humildade, testes, aprendizado contínuo, pessoas, tempo. Tudo isso vai ajudar seu foguete e ir mais longe.


E, calma.


Essa coisa de não ter freio e não poder dar ré é cruel e, no mínimo, imatura.


Quando a gente empreende (lembrando que você pode empreender independente de ter uma empresa), envolve expectativas de outras pessoas. Responsabilidades financeiras e emocionais. Com a gente e com as outras pessoas.


Às vezes, pisar no freio é a melhor decisão. Pra rever rotas, planos, r

ecursos, mudanças de cenário.


Em tempos de imediatismo online e disponibilidade fulltime, pisar no freio pode ser libertador. Não sair postando o conteúdo que todo mundo está fazendo só pra alimentar o algoritmo sedento, se vc ainda nem teve tempo de digerir e formar uma opinião, por exemplo.


Sem falar do ócio criativo! Pisar no freio pra respirar ajuda a enxergar, muitas vezes, aquele detalhe que vai ser determinante pra ir adiante. E pode não 'servir' pra nada também, só pra parar, uai!


E dar ré não é fracasso. Pode ser estratégico. Voltar, se arrepender, descobrir que precisa fazer melhor se quiser ir adiante. Buscar mais conhecimento, mais referências ou mesmo voltar às origens quando as coisas estiverem perdendo o sentido.


Foguete não dá ré.

Mas pode explodir.


Empreender (e viver) já é difícil e desafiador o suficiente.


Não cai nessa não.


Beijo,


Pati